Arquivo de Tag | elisabete cunha

A dor da Rejeição

 

Se uma pessoa o rejeita, não significa que você é ruim ou que tem menos valor que outros. Significa apenas que a outra pessoa não está sintonizada com o seu desejo, naquele momento.

Não há motivo para vergonha, depressão, ou sentimento de menos valia. Ao contrário, se alguém é rejeitado significa que possui a capacidade de se envolver afetivamente.

Isso deve ser um alento quando suas esperanças esbarram no “não” do outro. Mais triste do que a dor de uma rejeição é o sofrimento de quem congela o desejo por medo de se decepcionar.

A rejeição faz parte das experiências que se tem na vida.

É saudável sentir-se decepcionado ao ser excluído ou barrado no afeto de alguém que você desejaria ter ao lado. Esse sentimento doloroso faz parte do processo de processamento interno do que aconteceu.

No primeiro momento, a tendência pode ser de carregar as tintas e ver tudo escuro.

Ninguém gosta de ser rejeitado. Porém, a pessoa com autoestima satisfatória não fica estacionada aí e logo se move adiante.

O mundo não se reduz a alguém, ou a um grupo de pessoas. Sua vida será tanto mais ampla quanto for seu olhar sobre o horizonte.

Se o indivíduo não se deixar aprisionar pela rejeição, encontrará oportunidades para viver novas experiências que lhe trarão momentos mais felizes do que poderia imaginar.

O universo costuma apresentar seus presentes mais valiosos para aqueles que seguem em frente e não se detém diante de aparentes fracassos.

A chave é deixar o medo de lado e acreditar no seu valor e na sua capacidade de atrair para sua vida o que o (a) fará feliz.

Assim, como a terra e as flores se renovam em beleza e perfumes depois da tempestade, sua vida se encherá de amor e alegrias se aprender a superar uma rejeição, por mais difícil que possa parecer.

 

Relacionamento – Dez dicas para superar a rejeição


@ Não tome a rejeição como se houvesse algo errado com você. As pessoas fazem escolhas por razões que são delas. Você não precisa ser aceito (a) nem aprovado por todos.

@ A rejeição não significa que você não merece ser amado (a). Não é realista esperar que todos seus desejos e expectativas se realizem. Se alguém não quer você em sua vida, agradeça.

@ A pior coisa é ficar em banho-maria, nem lá, nem cá, vivendo na dúvida. Uma vez que alguém é rejeitado em alguma situação, ganha de presente a liberdade para seguir em frente!

@ Em vez de olhar para a porta que se fechou, mire o horizonte e as infinitas possibilidades que se abrem para você. 

@ Quando uma pessoa se sente devastado por uma experiência de rejeição,não é pelo outro que sofre. A depressão e o pensamento obsessivo em torno do fato é decorrente de problemas emocionais da própria pessoa. Nesse caso, o melhor é tomar uma providência e buscar ajuda psicoterapêutica.

@  Aproveite o momento para iniciar um projeto de vida que você vem adiando. Ao voltar sua atenção e energia em um projeto que trará satisfação pessoal, você conseguirá superar o sentimento de rejeição mais facilmente.

@ Aproveite todas as oportunidades para crescer com as experiências vividas. Pergunte-se o que pode aprender sobre você mesmo (a) com a situação.

@ Use o momento para dar um up grade total. Interno e externo. Cuidar de si mesmo (a) faz bem à autoestima e aumenta a autoconfiança. Comece a meditar, mude o cabelo, renove algumas peças do guarda-roupa, leia sobre autoconhecimento, entre para uma academia, inicie a dieta que vem adiando há tempos, comece uma terapia, faça shiatsu,  mude o estilo de se vestir, entre para uma aula de dança de salão, etc…

@ Entre em contato com antigos colegas e amigos de infância que você não vê há tempos. Aproveite para renovar os laços de amizade e se divertir.

@ Resista aos impulsos de ficar contando para todo mundo o que aconteceu. A necessidade de ouvir opiniões e desabafar a torto e a direito mostra um transbordamento interno. Ninguém poderá curar a sua dor, a não ser você mesmo(a).

Acredite na sua capacidade de se renovar e de superar eventos que causam sofrimento. Aprenda e cresça com suas experiências. Esse é o caminho para a maturidade emocional, condição indispensável para uma vida feliz.

Texto de Jael Coaracy

 

Recôncavo Baiano

IMG_8811974460828

 

RESPOSTA aberta a um senhor que me chamou de petralha nordestina entre outras coisas. Um insulto como se nordestina fosse defeito ou desmerecimento.
Não sou filiada a nenhum partido, mas com certeza estarei do lado do injustiçado. Alguém que foi eleita verdadeiramente pelo voto do povo deve permanecer ate o final do mandato. Não sou Pt e não aprovo muita coisa .

Mas, a constituição deve ser respeitada. Não foi o nordeste que elegeu Dilma. Foi o Brasil caro amigo, sim, sou nordestina com o maior orgulho da alma. Eu sou nordestina, baiana e do recôncavo baiano. Sei de minha origem e sou fruto de gente corajosa e trabalhadora. Em Terra Nova – BA chegaram meus bisavós por parte de pai do Porto – Portugal pra tentar reconstruir e tentar sorte com armazém de secos e molhados na beira de uma Usina de Cana de Açúcar – ALIANÇA era o nome da usina. E eles venceram.
Pelo lado da minha mãe sou neta de uma mulher, culta, forte inteligente e poeta. Filha de um padre foi criada com a melhor educação que poderia ter na época. E meu bisavô padre assumiu a filha perante toda a sociedade e a deu carinho e educação.

Minha vó namorou anos com o caboclo belo e rude, administrador de usina através de cartas. quando ele se estabilizou foi buscar a minha vó e foram formar família , família grande parte de professores……Família que muito me orgulha…Fui criada na poesia , na verdade , na luta. E eles venceram. Não peçam de mim imparcialidade, indiferença e personalidade equilibrada e nula. Sou uma mistura de raças e isso me dá forças para reconstruir sempre!!!
Quando pequena adorava ver os raios e trovões riscando o céu.
O caos não me assusta… eu sempre venço ele.
Qual motivo estou escrevendo isto?
Um misto de orgulho de meus antepassados e esperança no meu futuro em um momento delicado , perigoso e incerto.
Um dia quando tiver netos quero que eles leiam este post.

EPAHEY OYÁ!

Sobre a Perversidade by Marla de Queiroz

.

O perigo da perversidade é que ela é muito sútil. Um ser perverso jamais te atacará diretamente. Ele vai saborear cada silêncio calculado para despertar sua agonia. Ele vai tentar tolher seus lugares íntimos até que não reste qualquer espaço para manobras. Ele vai te seduzir da maneira mais irresistível e depois te tratar com um descaso inexplicável, como se algo de errado tivesse acontecido, mas sem te dar quaisquer indícios do que possa ter acontecido.

Ele será carismático com os outros, prestativo, mas demonstrará impaciência em responder à sua mais simples pergunta. Ele vai oscilar entre o tesão e a indiferença. Você se sentirá desejada quando o sufoco tiver tomado toda a sua alma e, totalmente desamparada quando o desejo demonstrado parecer esvaído nos primeiros suspiros da manhã. E o dia seguinte se tornará um longo e agonizante ano.

Ele parecerá espirituoso, depois irônico, mas estará sendo absurdamente crítico e sarcástico. E te deixará tão confusa que você, por momentos, não saberá identificar a crueldade que há neste tipo de comportamento. Os perversos são viciados em jogos de poder e controle. Não sabem o porquê. Simplesmente precisam tentar te destituir da sua autoconfiança e autoestima até que você se torne refém, dependente, à beira do desespero.

É muito difícil identificar um ser perverso e, depois se livrar dele. Ele te tratará com uma bipolaridade emocional absoluta. E quando tudo parecer perdido, quando você tiver decidido de maneira explícita sua escolha por um afastamento ou desligamento da relação, ele te rondará da maneira mais amorosa possível tentando te convencer que a falta de sintonia anterior era um problema seu. O perigo da perversidade é porque ela é muito sutil.

E o único antídoto para se curar de uma relação doentia como esta é reunir toda a coragem que você jamais imaginou ter e partir com toda a convicção de que você não precisa continuar neste campo minado. Você pode escolher um lugar de paz. Você pode não ser presa de um predador voraz. Você não precisa se vestir de sangue para alimentar estes vampiros. Esteja atenta. O perverso sempre parecerá um ser inofensivo e carismático. Com os outros. Apenas com os outros. E isto te deixará com uma imensa vontade de conquistar aquilo que ele fará questão de demonstrar que não está disponível para você. 

Um Recado para Clarice – Elisabete Cunh

Clarice
.

Espero que  você esteja bem e continue indo fundo da alma feminina de maneira em que incomode como um soco no estômago. Na verdade , poucos conseguem . Só você tem conseguido fazer isso comigo ao longo de tantos anos . Eu lhe conheci no ginásio, confesso que não lhe entendia muito naquela época,porque a vida ainda não tinha me tornado mulher com dores e amores, era uma menina curiosa e cheia de vontade de entender o mundo.

Você veio para o Brasil tão menina, Recife acolheu sua família…você cresceu e adquiriu traços da personalidade de mulher nordestina. Mulher nordestina já nasce com a alma sensibilizada com a beleza da nossa terra e com o sofrimento do nosso povo. Nascemos sabendo que temos que mostrar mais eficiência e coragem para que nos respeitem Brasil afora.

Aquele livro de Fotobiografia sobre você , que comprei na Casa das Rosas em São Paulo (um dos meus lugares preferido na terra da garoa) emprestei e nunca mais me devolveram…roguei uma praga pra pessoa que ficou e não me devolveu de nunca mais entender uma vírgula sobre você.
Acho que consegui…tomara!

Ahhh Clarice , como te deram frases que você nunca disse e nem sequer imaginou em escrever.
Querida , e o pior é que estão soltas pela internet. Cheias de blábláblá e dignas de quem nunca leu de fato um livro seu e não conhece seu estilo.

Você era uma grande leitora do mundo . Bem, acho que todo escritor, mesmo o medíocre, é. Um escritor não tem outra coisa para trabalhar, senão a própria vida. Pode se debruçar sobre a literatura do passado, pode fazer experiências formais e se entregar a uma “literatura culta”, pode tudo, mas estará sempre defrontado com a realidade.

Você Clarice, porém, lia o mundo não na visão chapada das grandes paisagens, ou dos personagens “perfeitos”, mas nas entrelinhas. Você conseguia ver o “entre”. Perfurava o real, cavando ali onde, quase sempre, por preguiça, por desatenção, por medo, nos detemos. Você não.
Espero que daí onde está você não veja. Certamente morreria (de novo) de desgosto ao lê-las tão fofinhas e açucaradas.

Pela vida Clarice, tenho observado o quanto você é sempre muito envolvente. Algumas pessoas não a suportam, e não voltam mais. Outras se entregam e, até, se desfazem em lágrimas. Ler você cara Clarice é, sempre, uma ameaça.
Você cirugicamente mexe no fundo de cada um que lê, e se for uma mulher ,muitas vezes você mata a dita cuja sem dó, gosto disso.
Quantas pessoas gostariam de escrever cada letra , cada vírgula que você consegue expressar nas linhas da vida?

Bem, vou me despedindo por aqui e já que estamos falando de frases , as suas me descrevem. “Estou passando a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar…”
Enfim:
“Valorize quem te ama, esses sim merecem seu respeito. Quanto ao resto, bom… ninguém nunca precisou de restos para ser feliz.”
.

Ave Clarice !
.

Um beijo!

Elisabete Cunha

“Não suporto meios termos. Por isso, não me dou pela metade. Não sou sua meio amiga nem seu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada”
―Clarice Lispector
.
“Sorrisos e abraços espontâneos me emocionam. Palavras até me conquistam temporariamente. Mas atitudes me ganham para sempre.”
―Clarice Lispector
.
“Eu sou uma eterna apaixonada por palavras, música e pessoas inteiras. Não me importa seu sobrenome, onde você nasceu, quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono.”
―Clarice Lispector
.
.
“Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta. Tens meu número, na verdade, meu coração, então se sentir vontade de falar comigo, me procura você.”
―Clarice Lispector
.

“Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar.”

―Clarice Lispector

 

Delicadeza – Elisabete Cunha

tumblr_novnslQ4HK1uud8rio1_250

.

Eu adoro a língua portuguesa.

Sempre adorava minhas aulas de Português, eu era uma boa aluna. O grande detalhe é que eu era fera nas matérias de humanas e um fracasso nas matérias exatas. Meu grande tesão era de uma matéria só: “Português”.

O meu boletim sempre vinha com notas altas e em azul e por algumas razões exatas eu não gostava na mesma intensidade das aulas de Matemática.

Para mim a Matemática era muito lógica, engessada, muito concreta e gelada.

As letras não…eram abstratas e sempre foram uma festa para mim.

Eu podia criar palavras, fantasiar situações e alimentar a minha cabecinha de criança ao escrever e isso me fazia feliz.

Sempre viajei nas palavras, histórias, contos , no significado, no peso e na leveza de cada uma delas.Tem palavra que tem até cheiro e gosto .

Isso sem falar do poder que possuem em levantar e derrubar qualquer pessoa.

Tenho paixão por palavras terminadas com o sufixo EZA…

(com o sufixo esa , não me interesso muito).

A minha predileta é DELICADEZA. Mas, também gosto de beleza, certeza, gentileza, clareza, fineza, firmeza,franqueza, grandeza,leveza, limpeza, nobreza, pureza e algumas outras lindezas.

Mas, como nada é perfeito tambem existem :
Frieza, Dureza e TRISTEZA.

P.S.. Não sei, só sei que é assim!
(Como diria o Suassuna , aquele que escrevia numa boniteza retada )

Elisabete Cunha

É ou não é. – Elisabete Cunha

65

:

Amor não acaba. Filmes acabam, balas acabam, dias acabam, beijos acabam, noites acabam, chocolate acaba, o assunto acaba, a paciência acaba, a vontade acaba – desejo diminui. Mas o amor não. Ele entra em coma, fica fraco, doente e, se for o caso, morre. Amor não é um sentimento, um fato, um objeto. Amor é uma vida, é algo que sai da compreensão humana, científica, racional. Amor não começa e acaba.
Amor nasce e morre.
É ou não é. Não sobrevive na UTI.
Morre de morte morrida.
Não tem ressurreição que dê jeito.

Elisabete Cunha

Santos e Ordinários! – Elisabete Cunha

oratorio-santos-e-ordinarios-frida-oratorio

O meu oratório de vida é para Santos e Ordinários…
Muitos ordinários já foram importantes , muitos santos já foram expulsos…
Muitos ordinários foram santificados.
Muitos santos se transformaram em ordinários…
Quando falo em ordinários e santos estou falando de seres humanos em geral. Sem gênero. sem cor, sem rótulos superficiais.
Seres com defeitos e efeitos.
Seres com gratidões e ingratidões…
Seres que só se aproximam quando tudo está bem, calmo e estabilizado.
Seres que acolhem, que acolhem, que acolhem quando tudo está cinza, difícil e sem chão.
A grande diferença está justamente nisso:
Acolher ou Escolher.
Seres que acolhem não escolhem o melhor momento.
Eles acolhem em qualquer momento, mesmo que seja o pior momento.
Somos seres ordinários e santos.
Ser santo quando tudo vai bem é fácil.
Ser ordinário quando tudo vai mal é reflexo.
Quero ver ser santo quando tudo vai mal.
Seres humanos …
Seres com maldade, desprezo e indiferença.
Seres que matam cruelmente em nome de um Deus .
Santos que agridem com palavras.
Ordinários que beijam com o olhar.
E apesar de tudo , são seres que possuem toda generosidade e preciosidade humana revelada no toque, nos valores, nos pensamentos, nos sentimentos e principalmente no caráter.
Enfim , citando Clarice :
O que o ser humano mais aspira é tornar-se um ser humano.

Carta ABERTA para uma VIDA INACABADA de uma Espectadora não linear.- Elisabete Cunha

22222'

9

Como vai Vida?

Querida,você tem tentado testar minha resistência né danadinha? Eu te entendo, quem manda dizer que é corajosa, valente e destemida. não é mesmo? Agora aguenta coração! Este ano de 2014 tenho tido muitas surpresas com você amiga. Por aqui, nada no mesmo, tudo mudando e rodando. Você me tirou o chão várias vezes, mas não reclamo. Pois através disso descobri uma força que sabia que tinha, só não sabia como administra-la. Pois, como você bem sabe tudo acontece no superlativo comigo e através disso percebi que a maior certeza que temos é que não existem “certezas” .

É difícil conciliar tantos acontecimentos novos e emoções nada tranquilizantes tenho lados tão opostos, sou tão Yin-yang… eu que nunca fui muito certa, continuo batendo a cabeça. Estou feliz com meu pavio curto que tem ficado bem mais zen e equilibrado. Mas, difícil ainda é aceitar certos limites no meu corpo que não existiam e você já deve ter percebido que tenho tentado ser cuidadosa,carinhosa e acima de tudo compreensiva aceitando meus limites e aprendendo que somos apenas um grão de poeira na areia deste universo . E vida , como existem pessoas que ainda não “perceberam” este detalhe, tão importante. Somos frágeis e podemos morrer a qualquer segundo, você com o tempo me ensinou isso. Apesar de saber que ainda não consigo ver a morte como algo natural.

O fato de descobrir que não sou eterna me deixou mais humilde e resiliente. Seguranças são tão preciosas e ao mesmo tempo inseguras, não sei se você me entende. Por isso alterno. Me alterno. Por isso choro, sorrio,escrevo, invento e ainda me emociono com uma flor, uma música, uma criança, um idoso fofo, um abraço de verdade. Eu quero entender o mundo, mas só consigo amar. Penso que se entendesse um pouco de mim eu perceberia mais os porquês e sofreria menos por nada. Mas eu continuo sentindo muito, intensamente, dolorosamente e sem fim. Quando dói, dói muito. Corta, rasga, machuca e sangra. Quando fico feliz, o mundo me devora.Luz e energia fazem parte de mim, nasceram comigo, afinal sou uma típica ariana que encabeça o mundo.

Ah, minha amiga, esse meu coração me devora mesmo! As ventanias são tão fortes que as vezes penso que vou cair…Daí , vem a brisa soprando baixinho no meu ouvido: – Quem é de Oyá não cai, enverga enverga, mas não quebra. O meu Deus é um Deus de bondade , um Deus que une crenças e aceita o amor de qualquer religião. pois para mim , Deus é amor. E é esse Deus conciliador que é a minha base para nunca me deixar desistir de viver.Mas, a minha fome de viver é tanta que devora minhas palavras, minhas frases, meu desejo, e me alimenta para prosseguir.

Existe uma citação da Lya Luft que adoro e tento seguir: ”A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura.”Querida Vida, eu nunca fui uma pessoa equilibradamente linear, você bem sabe que desde menina sempre me refugiei no meu mundo de desenhos, livros e fantasia. Era minha salvação diante de tantos fatos que ocorriam na vida de uma menininha questionadora. Ainda não sou uma pessoa terminada e nem quero ser, eu não quero rótulos nem roteiros prontos, não existe começo nem fim em mim. Eu existo. E eu quero viver!

Enfim ,a cada dia aprendo que para compreender o outro é preciso respeitar a individualidade alheia. É preciso ter coragem pois acho que a vida é um processo mutável , além de tudo, não temos o controle de nada. É quase uma arte mostrar-se sem pudores, tornar-se vulnerável é coisa para gente forte… Não tem jeito, o caminho é prosseguir e contemplar cada momento que você nos dá como se fosse o último.O último suspiro.

Um beijo e dá lembrança a Felicidade , manda ela aparecer mais e avisa a Esperança que estou sempre confiando nela.Só vou te fazer um pedido…Não deixe o Medo e aquela galera do mal  que o seguem virem para o lado de cá,tá?

 Sem Mais !

Elisabete Cunha 06/11/2014

P. S. Esqueci de agradecer tantas coisas maravilhosas que você me proporciona a cada dia minha amiga Vida . Você tem sido generosa comigo sim. Muito! Pois é, esquecemos sempre que a gratidão é algo tão grandioso e pratica-la é tão raro . É esta feia mania de pedinte que os seres humanos possuem… Desculpe, somos seres difíceis de lidar. Eu sei. E novamente citando a grande Lya Luft  finalizo : “Apesar das minhas fragilidades, avanço.”

O Riso é meu. – Elisabete Cunha

beta

Eu menina, nunca me poupei de gargalhadas.

Conselhos tive: – Uma mocinha não ri alto assim na rua menina, que coisa feia!

Pensava: –  😦 Coisa feia? (como assim , sorrir é feio?)

Pois era ai mesmo que eu aumentava o volume da minha gargalhada.

Na minha casa nunca tive aulas de como uma moça precisava gargalhar. Até mesmo porque sou filha de um homem que foi riso solto total, bem humorado ,bonachão e um eterno” bon vivant”. O meu pai deixou de herança pra mim o  gosto musical , artístico e o riso solto sem medo de ser feliz. (Obrigada Seu Candinho, sinto pelas risadas que nunca mais poderemos dar juntos.).

A minha mãe era mais séria , mais centrada  e nunca controlou minha forma de sorrir, aliás sempre fui livre na minha casa para ser autêntica e ter educação em outras coisas mais cabíveis, não na hora deliciosa de sorrir. Ela sempre estimulou meu lado lúdico, criativo e alegre. E acreditem, até hoje ela é assim.

Depois que cresci , continuo uma mulher bem humorada e de riso fácil. Agora, coisa qualquer não me faz rir. Digamos que fiquei mais seletiva com o tempo. Precisa ser algo bem inusitado, muitão besta ou idiotamente  inteligente pra me balançar. Dai abro o bocão que Deus me deu e solto aquela gargalhada,Sem culpa, sem medo. Sem insegurança de julgamentos alheios.
Rir.
Uma boa gargalhada é um ‘mini-workout’, um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e OS anticorpos. Quer mais?
Pessoas que não sorriem facilmente pegam gripes e resfriados mais facilmente, são menos queridos e mais amargos. Além da nhaca da negatividade latejante que eles carregam. Pois então, o riso é meu , ninguem tasca eu vi primeiro…

Descomplica! – Via Elisabete Cunha

 

 

tumblr_nbb4qwz39i1rkrdxvo1_250

>

É que a vida não é colorida, é colorível…levanta e vai pintar tua vida das cores que você mais gostar, porque ela é curta pra caramba (ia escrever caralho, mas achei que não ficava bem pra uma senhora). Certas porradas que chegam sem ser esperadas servem tanto, não se queixe,engula o choro agora!!
Nestes descaminhos aprendi que nada é tão grande como a gente vê. Ainda bem! Decidi descomplicar o simples, simplificar os dias. A gente planeja tanto, aí vem o inesperado fazendo festa, rindo dos nossos projetos megalomaníacos, nos ensinar que muita coisa depende de nós, mas que a vida é muito mais que um bloco de notas.
Vem nos mostrar que não existe receita pronta, palavra certa, escolhas erradas, a vida se apresenta cada dia com uma nova roupa e cabe a nós tirá-la para dançar ou ficarmos sentados esperando a coragem chegar. Reaprendi a construir caminhos sem me preocupar com a chegada, apenas com cada passo da caminhada. Tou dando minhas topadas ainda e são muitas. Mas, acho que melhorei minha mania de achar que podemos controlar tudo.
O lance é pintar estrelas no muro, e ter o céu ao alcance das mãos.Tudo, mas sem ilusões, na real mesmo porque existe uma coisa na vida que precisamos aprender, e ninguém ensina isso nas escolas…Só nos tsunamis que surgem do inesperado que aprendemos a capacidade de suportar e de se reinventar.

Eu tenho medo do Bukowski – Elisabete Cunha

.

.

Eu tenho medo do Bukowski .

O real é que a vida não é nenhum livro do Carlos Drummond de Andrade, nem mesmo um verso da Clarice Lispector, ou até mesmo uma história quente e sensual do Jorge Amado .

Confesso, sim eu tenho medo de Bukowski . E não é  que a esta vida está muito mais para a loucura incompreensível de Bukowski?

 Ele que se abastecia com o hábito de escrever a realidade podre. Era um amor sem fim entre ele e a escrita, e talvez ainda seja, caso o inferno exista.

O velho louco, se tivesse oportunidade de escolher entre o inferno e o céu, com certeza escolheria a companhia do diabo, que o deixaria em paz com o seu repertório de poemas mandando os deuses irem à merda na integra.


Putz, eu tenho medo dele mesmo.

 Na vida o que nos desafia exerce medo e fascínio.

Charles Bukowski enfrentou a vida como sempre: debochadamente, desbocadamente, cinicamente e… apaixonadamente, como era do feito daquele último beatnik, primeiro punk, amante das mulheres, das corridas e proprietário de frases e pensamentos sem freios.

A vida como ela é…

Sim, tenho medo de Nelson Rodrigues também…

Elisabete Cunha

“Sentamos e esperamos pelo sol e tudo o que viria pela frente. Eu não gostava do mundo, mas em tempos precavidos e tranquilos, dava até quase para compreendê-lo.”

Bukowski.
 

Adoro ESCADAS E JANELAS… Elisabete Cunha

:
:
“Escadas me fazem lembrar que na vida temos subidas e descidas…é algo que é inevitável, você tem que enfrentar o degraus sem medo ou corre o risco de paralisar-se.
Janelas servem para mim como uma típica ariana, senhora da impulsividade para lembrar que antes de sair porta a fora …é muito mais prudente que primeiro fiquemos a observar da janela, sem pressa, nem arroubos. Longe de mim ser assim tão equilibrada em todas as situações, na teoria sou ótima, na prática acabo fazendo tudo errado.
Estou aprendendo, a dona vida vai ensinando através das decepções se realmente pode valer a pena investir e insistir em um objetivo. Valendo mesmo e nunca sabemos ao certo se vale de fato, podemos sair com a alma aberta pela porta da vida sem medo de começar e se preciso for, recomeçar.”
:

Dissimulada …

tumblr_mzikqxm2MU1si27qzo1_500

Querida!

Se você é impulsiva por instinto.É sincerona por criação. Mostra-se sem medo da máscara cair a qualquer momento e revelar que você não é fria , indiferente , equilibrada e que não é nenhum poço de segurança feminina. Bem, se for desbocada, pior ainda. Eu sinto muito, é provável que as recusa do convite venha logo na sequência. E com elas as rejeições por todos os lados.
As dissimuladas, porém, elas não sentem nada. Premeditam, se contém, são pacientes feito cordeiros no rebanho. E se dão bem, claro que sim: com tanta suavidade, o mundo fica desejoso de ver fora do centro de si mesma e em tons de vermelho, preto, roxo alguém que opta sempre pelo bege. Sim o bege, o neutro…estas devem ser as cores das sonsas..Logo eu que sou a fã number one das cores de Almodovar nunca conseguiria me ajustar a tanta neutralidade…
Se caso eu fosse um desses seres perfeitos e ajustados da familía das Dissimuladis Espertium , levaria os homens à loucura com minha indiferença,seria discreta em família e, claro, viveria para o trabalho e estudos porque as dissimuladas sabem muito bem parecer ótimas hardworkers independentes e criaturas cultíssimas.
Se eu fosse dissimulada, daria uma vontade imensa de ser exatamente essa bagunça incontida que sou eu mesma e claro que esconderia a verdade e agiria perfeitamente perfeita em tudo e com todos. Seria o oposto o que sou, também tenho certeza eu teria menos decepções..
Se eu fosse dissimulada deveria falar menos palavras de baixo calão, não demonstrar interesse algum e esquecer a ideia fantasiosa de deixar alguma marca, qualquer umazinha, nesse mundão.

É… não sou….me ferrei!!!

P.S, Ia falar me FODI…mas, n gosto de palavrões! ( sou dissimulada?)