A dor

tumblr_om0109tnwc1sthf15o1_500

Cheguei a conclusão de existem pessoas na vida que não nasceram para serem amadas.
Eu sou assim. Não tenho vergonha de assumir. Hoje nem faço mais questão de que isso aconteça mais comigo. Endureci… É triste …mas é a mais pura verdade. Viver de ilusões  e embarcar numa mentira, alimentada muitas vezes por um parceiro que não a amou de fato, só alimentou uma história de faz de conta, criou uma situação onde a companheira se sentia amada e tinha confiança total e depois de todos os erros. Erros que se houvesse amor de verdade poderia ser perdoado.
Nunca houve amor, houve a transferência de culpa.
Tudo foi um teatro onde descartar o outro é banal.
Isso tudo é uma bomba…isso é sério.
Se alguém na infância recebe na medida certa o amor, o carinho, o afeto, o apoio e – por que não? – também a bronca ponderada, mas sente-se valorizado, estimulado, elogiado, bem como corrigido, desenvolve-se de forma adequada.
Se, pelo contrário, vive num ambiente desestruturado, em que não é ajudado a se desenvolver, a se descobrir, a participar, a se posicionar, sua personalidade fica esburacada. Um desses buracos é formado pela carência de afeto.
Quando não o recebe na dosagem certa, a pessoa se ressente, carregando essa deficiência como um pesado fardo pela vida afora. Se não entender o porquê desse vazio interior que sente e não tentar superá-lo, será uma pessoa muito infeliz.
Estas pessoas são mal-amadas e não resolvidas consigo mesmas. Não gostam de si e se julgam incapazes de serem amadas, porque não foram satisfeitas quando crianças na área do amor e do afeto. A carência afetiva é “irmã gêmea” da rejeição. A pessoa sente-se rejeitada porque não recebeu amor.Uma criança criada em um ambiente onde um dos pais é alcoolista marca para sempre o futuro afetivo .
Não é amada porque, de certa forma, se encolhe, não acreditando e não confiando em si. Mas se não acredita em si, é porque não recebeu esse crédito. Resultado: sua vida é marcada pela revolta, pela apatia, pelo isolamento, pela agressão, pela fuga e pela tirania. E impossível avaliar os estragos que a carência afetiva ocasiona dentro da pessoa.Eu hoje sei: Doenças crônicas e uma vida flagelada.
Hoje, tenho tentado aprender a não odiar tanto e sim a agradecer cada relacionamento falho, cada vez que meu coração se partiu, a agradecer cada despedida forçada, cada ferida estancada, cada espinho e cada tropeço, eles me fizeram o que sou hoje, uma pessoa forte  no ato cair e se levantar,  afinal de contas, a vida é feita de quedas, e eu vou aprender a me levantar.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s