Arquivo | fevereiro 2014

Cuidado com essa carência! -por Patricia Gebrim

tumblr_mxey2a58Ro1rcrcdeo1_r1_400
 

 

“Quando alguém carente se aproxima das pessoas, essa aproximação quase nunca é descompromissada ou relaxada. Existe sempre uma certa tensão”

Pessoas carentes são como polvos gigantes, esses seres maravilhosos de que fala Julio Verne. Nas páginas dos livros são encantadores e cheios de magia, mas na vida real… acabam afastando de si mais gente do que gostariam.

Carência é esse sentimento incômodo que muitas pessoas carregam, percebida por elas como um tipo de buraco, uma fome constante que chega a doer. Às vezes é fome de afeto, de amor… mas também pode aparecer como fome de atenção, como o desejo de estar sempre no palco das relações, sendo valorizado, cuidado, tratado de forma especial.

É uma exigência, muitas vezes inconsciente, uma expectativa de que os outros supram você de alguma maneira, desejo esse que costuma se impor à sua capacidade de perceber o outro como um ser individual que tem direito a escolhas e limites.

Uma pessoa carente sempre exige, mesmo que de forma disfarçada, que o outro lhe dê o que quer. Não compreende que o outro tem o direito de dizer não. O outro tem o direito de não querer lhe dar algo. O outro tem o direito de não gostar de você. (Afinal, quem é amado por “todas” as pessoas?)

Quando alguém carente se aproxima das pessoas, essa aproximação quase nunca é descompromissada ou relaxada. Existe sempre uma certa tensão. Por um lado os carentes polvos querem agir sempre adequadamente, para garantir que serão aceitos. (Sua liberdade de ser, ser simplesmente quem são, está limitada pela necessidade de saciar a suposta fome). Por outro lado, aproximam-se na expectativa de receber. Raramente aproximam-se para dar algo ao outro.

Como polvos ambulantes, pessoas carentes estendem na direção da vítima seus enormes tentáculos, tentando trazer em sua direção o que necessitam. Me dê… me dê… me dê… Essa é a mensagem inconsciente que acabam transmitindo, mesmo que o discurso seja muito diferente.

Só que, por ironia do destino, por mais que tentem disfarçar suas intenções, o outro acaba pressentindo os tentáculos e na maior parte das vezes se afasta de você. Isso faz com que a pessoa carente se sinta rejeitada, o alimento lhe foi negado, a fome aumenta e ela tenta com ainda mais intensidade, numa bola de neve sem fim.

Quando vamos com sede demais ao pote acabamos derrubando-o, e lá se vai nossa chance de beber seu conteúdo. As pessoas se afastam quando percebem alguém se aproximar na expectativa de ser suprido, como um náufrago desesperado em busca de algo a se agarrar. E a pessoa fica lá, sozinha no meio do oceano. Como uma brincadeira maldosa do destino, a pessoa acaba afastando cada vez mais a possibilidade de receber o que quer.

Ora, a pessoa carente não faz isso por que queira ser má, ou lesar o outro. Na verdade ela age baseada na falsa crença de que não consegue suprir a si mesma. Talvez venha de um lar onde não tenha se sentido amada, ou querida. Talvez tenha até recebido amor, mas por algum motivo não tenha conseguido sentir que isso tenha acontecido.

Por trás dessa atitude carente, existe uma dor e uma ilusão. A dor de uma criança ferida. A ilusão de que não se é nada mais do que essa criança.

Entenda: hoje você não é mais uma criança que precisa de alguém para cuidar de você. Aceite a ideia de que hoje você é grande o suficiente para cuidar de si mesmo!

Se a pessoa carente conseguir perceber que, não importa o que lhe tenha acontecido, isso é passado. E que hoje existe dentro dela uma força capaz de curar qualquer ferida. Se conseguir se identificar com seu lado adulto, parando de esperar que a cura venha de fora, ou das outras pessoas. Se conseguir pegar sua criança ferida no colo, e dar-lhe todo o amor, e atenção, e carinho… esse é o caminho para a transformação.

Se em vez de estender seus tentáculos na direção das pessoas, usar todos aqueles braços para abraçar, proteger e acariciar a si mesmo… se fizer isso, algo mágico começará a acontecer. O polvo vai aos poucos se transformando em uma espécie de ninho, seguro e quentinho… e nesse ninho você conseguirá se lembrar de sua verdadeira essência, e de lá sairá assumindo sua verdadeira forma, a da mais bela ave, e seu canto será tão pleno que todas as pessoas sentirão o desejo de se aproximar e acariciar suas suaves plumas.

De mãos dadas com o adulto que existe em você, sua fome será saciada por você mesmo. E a sua relação com as pessoas se transformará. Deixará de ser uma busca de alguém que supra suas necessidades infantis e passará a refletir o prazer e a alegria de uma troca genuína e adulta com outro ser humano. E com certeza, essa mudança fará com que as pessoas parem de se afastar de você e passem a querer estar a seu lado.

Anúncios

O homem apaixonado

rerere

Excelente texto da Lilian Maial, sobre o homem apaixonado.

**********

Se você conheceu um homem apaixonado, verdadeiramente apaixonado, você conheceu o que há de melhor nesse mundo.
É fácil e comum, nos dias de hoje, encontrar uma mulher apaixonada. As mulheres parecem ter sido feitas para a paixão (ao menos é o que nos dizem desde que nascemos). Mas homens, esses foram feitos para as batalhas sangrentas do dia a dia, para as dificuldades financeiras, para a luta pela sobrevivência, para o silêncio de sentimentos (assim pensa a nossa sociedade).
Os homens foram tão massacrados de responsabilidades e estigmas de carregar o mundo nas costas, que nem se deram conta de sua própria necessidade de amor e paixão. Fingem tão bem não ligar, reduzem o amor a conquistas, a disputas, a objetivos práticos a serem alcançados que, assim que atingem tal objetivo, o objeto passa a não exercer o mesmo fascínio.
Tudo bem, é por aí. Mas e quando Cupido decide flechar de verdade o coração masculino? Como reage esse coração, tão pouco acostumado a sofrer por amor, a manter alguém 24 horas por dia em seu pensamento?
Gente, é lindo! É tão lindo quanto ver uma criança dando seus primeiros passos, ou vendo um passarinho dar seu primeiro vôo, ou como namorados dando seu primeiro beijo.
Ele (o homem) é pego de surpresa e reage de forma surpreendente. Torna-se vulnerável, emotivo, passa a prestar atenção em letras de músicas, em flores, em poemas, em vitrines, em praças, em crianças. Ele passa subitamente a gostar de lojas, de receitas, de moda e perfumaria. Fica entendido em cremes e cheiros, em livros, em drinks. Passa a ser expert em assuntos exóticos. Acorda e dorme cantarolando. Isso tudo porque a amada tem seu mundo e é seu mundo.
O espelho passa a exercer atração. Geralmente muda o corte do cabelo, a barba e o bigode (tira, se tem, deixa crescer, se não tem). Fica vaidoso, sensível e bobinho. Adorável bobinho. Mas… esconde!
Ah, parece ser pecado se apaixonar!
Deve ser uma terrível gafe demonstrar sentimentos.
Aparentemente é condenável ser simplesmente humano.
Sabe aquela coisa do “lado feminino”? Balela. Não existe essa dicotomia. Todos temos de tudo dentro de nós. O poder, a beleza, o bem, o mal, o masculino e o feminino, o yin e o yang.
Mas esse homem apaixonado passa a ser exigente, a ter carências e vicissitudes. E se você souber manter essa chama acesa, souber lidar com esse homem enfeitiçado, será uma mulher abençoada, porque ele é capaz de tudo para ver você feliz.
Ah, esse homem não medirá esforços. Não haverá obstáculos capazes de detê-lo na empreitada da sua felicidade. Ele acordará com a força de um Hércules, a disposição de um atleta, a perseverança de um monge, e a fragilidade de uma criança.
Acolha-o. Sinta-o. Mime-o. Ame-o.
Deixe-o sentir seu amor fluir.
Alimente-o de afagos, de agrados, de elogios.
Mostre a ele a correspondência de sentimentos, mas não o prenda.
Deixe-o livre para escolher você, escolher estar com você, preferir você a qualquer coisa. Mas por vontade dele.
Creio que o erro de muitas mulheres é querer prender seu homem, controlar seus passos, cercá-lo não de afeto, mas de desconfiança.
O homem apaixonado é seu. Está apaixonado, encantado, tem um mundo novo e muitas das vezes não sabe lidar com ele.
Também fica inseguro, ciumento, quer agradar, quer inundá-la de carinhos, mas quer manter sua habitual liberdade.
E em nome desse novo amor, desse sentimento que o fragiliza tanto, talvez sufoque essa liberdade que sempre teve e que sempre foi-lhe ensinado assim. Mas isso, com o tempo, certamente o deixará limitado e cansado, levando a um desgaste no relacionamento.
Então, o que fazer?
Não há fórmulas. Não há receitas de bolo.
Há sim uma necessidade de entendimento, de espaço, de respeito mútuo.
Há que se lidar com a liberdade assim como se lida com a delicadeza da paixão.
Há que se estabelecer limites. O outro é o outro, você é você.
Não se pode amar ao outro se não se ama a si próprio.
O outro não é seu espelho e nem seu ideal e objetivo.
Nada de se anular em função do amor.
Essa é a diferença entre a mulher apaixonada e o homem apaixonado.
Ele não ama menos, não sente menos, não sofre menos por amor.
Apenas ele sempre teve sua individualidade. A sociedade o permitiu desde o início dos tempos, enquanto nós, mulheres, aos poucos vamos ganhando terreno na igualdade de direitos, inclusive o direito de se amar, o direito a seu espaço individual na relação a dois.
Sendo assim, ao dar de cara com um homem apaixonado, ao se apaixonar por ele, não abra mão de seu espaço, de sua individualidade, porque só assim poderá entender a postura dele e aproveitarão tudo o que a paixão e o amor correspondidos podem fornecer de forma sadia a ambos.
Curta seu homem, estrague-o de tanto amá-lo, e seja feliz!…

Só para mulheres : Parem de pegar no pé, ok?

Resultado de imagem para mulher grudenta

 

A relação entre os homens e mulheres é complicada desde os primórdios da história humana na Terra. O problema é que um não vive mesmo sem o outro e precisa aprender a tolerar o muitas vezes, intolerável. Homens que o digam, quando um turbilhão de hormônios resolve correr pelas veias femininas e destruir bom senso, cordialidade, paciência.As mulheres então se transformam nos monstros chatos ou na mala sem alça ou rodinha cada vez que pegam no pé dos amados.

“E elas pegam mesmo. Nenhum homem gosta de ser pressionado e acho que as mulheres se esquecem disso”, fala Rafael, 28 anos. O amigo dele, Roberto, se apavora cada vez que pensa na pegação de pé e nos escândalos que a mulher faz. “Ela é cheia de armar barracos. Isso é realmente um inferno”, desabafa.

Para Juliano, 25, o pior é quando as mulheres acham que o homem pode adivinhar o que elas pensam. “Elas não falam, ficam fazendo jogo, e acho isso péssimo. Não tem nada de charmoso e é apenas para pegar no pé”.

Fora isso, há toda a chateação básica, resultado de insegurança e ciúme. “Pegar no pé e fiscalizar 24 horas por dia não adianta nada. Eu fico com mais raiva ainda”, conta Luciano. Mandar mensagem no celular o tempo todo ou ligar pode ser atestado de insegurança mesmo e, às vezes, dar motivo para aquela traição tão assustadora. “Ter uma pessoa te fiscalizando e perguntando com quem, quando e onde está é um saco”, dispara Max, 26. E aquilo que toda mulher acha que é motivo de briga – toalha jogada no chão, bagunça ou atraso – nem faz cócegas nos ânimos deles. “A gente odeia mesmo quando elas ficam de fofoca, falando da vida dos outros. Isso sim é chato. Pegar no pé, por pequenas coisas, nem é tão ruim assim”, continua.

Pelo jeito, para eles a pior ‘pegação’ no pé passa longe das besteirinhas do dia-a-dia. O que eles querem é uma mulher que impressione, mas sem exageros. “A gente quer aquelas que têm personalidade própria”. Ainda bem!

Ter um amor ao lado é algo muito gostoso. Mas, às vezes as coisas dão errado e o homem acaba se afastando. Ele liga cada vez menos, conversa cada vez menos e você fica cada vez mais triste. E aí você se pergunta: Como fazer um homem lhe valorizar?

Algumas mulheres, desesperadas e carentes, fazem de tudo para chamar a atenção do homem. Elas cobram demais, acabam ficando ridículas e, ao invés de atrair, acabam afastando o homem ainda mais.

Mas, se você quer realmente viver uma relação sadia, leia:

Não faça pressão

Cobrar e pressionar acabam exercendo efeito contrário. Quanto mais você pressiona e corre atrás, mais o homem se afasta. Nenhum homem gosta de ser cobrado demais. Eles se sentem sufocados quando a mulher pega muito no pé. Precisamos entender que a cabeça masculina é diferente da nossa. Às vezes, eles precisam se afastar para pensar e decidir o que realmente querem. Isso não quer dizer que ele não queira mais estar com você.

Seja inteligente e confiante

Uma mulher confiante e inteligente é naturalmente atraente. A confiança é essencial para que a mulher se sinta bem consigo mesma. E a inteligência é necessária para saber conversar, ter jogo de cintura e prender a atenção masculina. Aposte nisso.

Seja o espelho do homem

Alguns homens costumam sumir e se afastar. E a mulher corre atrás, o que é um erro. Se ele não te ligou, não ligue também. Se ele parou de te procurar, se afaste também. Seja um espelho. Porque, se ele voltar a te procurar e te tratar bem, faça o mesmo. Assim, você não fica frustrada com o relacionamento.

Suma

Ao invés de correr como uma louca atrás do homem, faça o oposto: suma e finja que nada aconteceu. Isso é difícil, mas faz a diferença. Ele não vai entender o seu comportamento, vai ficar confuso e acontecerá o contrário: ele vai correr atrás de você.

Fique ainda mais bonita

Cuide mais do seu cabelo, das suas unhas, use maquiagem. Faça com que o homem te veja mais bonita do que antes. Assim, ele vai ficar babando e vai correr atrás, para não perder a mulher maravilhosa e linda na qual você se transformou.

Erros das mulheres: Blá Blá Blá

Vocês marcam um encontro que na verdade mais parece um monólogo. A única pessoa que abre a boca é você e parece que o assunto nunca tem fim. Quando o cara finalmente consegue expressar a opinião dele, isso é apenas uma deixa para você continuar a falar sem parar.

Tudo bem que você quer mostrar que é uma mulher inteligente, bem informada e antenada com as últimas novidades, isto até ajuda a como impressionar um homem. Mas, homem nenhum aguenta ficar ouvindo uma mulher falar por horas e horas a fio, sem nenhum intervalo. Esse é um erros das mulheres que deve ser eliminado.

Quem é ela? Onde você foi ontem à noite? Você está me traindo?Uma relação para dar certo precisa, necessariamente, de confiança. Se você, nas primeiras semanas de relacionamento, já dá sinais de que não confia no cara, imagina como será quando o namoro estiver com alguns anos de estrada? Não há nada mais chato para um homem do que uma mulher que pega no pé, que quer saber cada detalhe, quase como uma investigação. Falta de confiança é capaz de fazer qualquer um perder o interesse.

Erro das mulheres: Chiclete

Vocês nem estão namorando, mas a todo o momento você está ligando ou mandando mensagens de texto para o celular do pretendente. Quando ele não liga, você cobra satisfações, com o maior drama, dizendo que foi esquecida. Quando o final de semana chega, você nem quer saber de deixa-lo sair com os amigos, quer é ficar grudada nele o máximo de tempo possível. Todo mundo precisa de um tempo a sós, para relaxar, para colocar os pensamentos em ordem e para se divertir com os amigos. Homem nenhum gosta de mulher grudenta, que pega no pé e não para de ligar. Não cometa um desses erros das mulheres.

A princesa que virou gata borralheira

Nos primeiros dias, você estava sempre perfumada dos pés à cabeça, com as unhas feitas e o cabelo sem nenhum fio fora do lugar. As semanas passam e você começa a relaxar, se esquece de marcar a depilação, adia a manicure e decide usar aquela roupa furada. Esses são um dos principais erros das mulheres. Tudo bem que não precisa estar sempre vestida como se estivesse indo a algum evento de gala, nem ir ao salão todos os dias para dar um trato no visual. Porém, nada pior do que uma mulher que não se cuida e que fica relaxada com o visual. Homem gosta de sair por aí exibindo a mulher com quem está saindo. Que homem vai querer mostrar uma verdadeira gata borralheira? Assim, fica difícil em como agradar o marido no dia a dia.

O passado trazido à tona

Você e seu ex-namorado terminaram de forma agradável, continuam amigos e você adora falar sobre ele. O outro ex, no entanto, foi um cafajeste e só te humilhou. Seja qual for o caso, não há assunto pior a ser tratado em um encontro do que o ex-namorado. Homem nenhum gosta de ser comparado com outro nem de saber com quem a mulher esteve antes dele.

Bem, se conselho fosse bom seria vendido….mas vale as dicas!

 

Criando Expectativas : Tou fora!

6a7a003e826b39f884fc3f6d655e898a

Um dos caminhos mais eficazes para a frustração é criar expectativas. É da natureza da mente esperar que algo muito desejado aconteça rapidamente.
E, quando vivemos de modo inconsciente, não conseguimos perceber este jogo que nos leva sempre a esperar pela realização urgente de nossas esperanças e a sentir uma grande decepção quando elas não se concretizam.

Visto que não temos o poder de determinar a vontade e as atitudes alheias, torna-se impossível que possamos ter garantida a realização de todas as nossas expectativas.

Nas relações afetivas é onde este tipo de engano mais acontece, pois sempre projetamos no outro nossos desejos e esperamos ansiosamente que ele os satisfaça plenamente. Quando isto não ocorre, a reação é de revolta, pois nos sentimos traídos por aquele que não preencheu nossas expectativas.

Viver uma vida consciente pressupõe, antes de tudo, aprender a perceber quando estas ilusões começam a se formar em nossa mente e aceitar o fato de que não temos o dom de manipular a realidade para que ela se amolde ao nosso desejo.

A partir daí, tudo começa a fluir num novo ritmo. Passamos a nos relacionar de modo realista, enxergando o outro exatamente como ele é, sem qualquer fantasia ou ilusão.

Além disso, se torna possível aceitar, com tranquilidade, que nem sempre a realidade corresponderá aos nossos anseios, por mais que lutemos para isto.
Então, o bom senso e a sabedoria podem, finalmente, tomar o lugar da angústia, da ansiedade e do desespero.

Este não é um aprendizado fácil, mas é, sem dúvida, essencial para que nos libertemos do sofrimento criado por nossa própria mente, que insiste em nos manter prisioneiros da ilusão. A felicidade só se torna possível quando pudermos perceber o quanto nossas próprias expectativas criam a maioria das frustrações que experimentamos ao longo da vida.