Fibromialgia

A fibromialgia é uma doença reumática crônica caracterizada por dor musculoesquelética generalizada e fadiga. A palavra fibromialgia significa = “dor nos músculos, ligamentos e tendões” (partes fibrosas do corpo).
Os pacientes com fibromialgia se queixam que sentem dores em todo o corpo. Relatam que seus músculos estão fortemente doloridos, e esta dor, é acompanhada por uma sensação de queimação ou fadiga muscular.
Na Espanha se calcula que estão afetados entre 2% a 3% da população. É mais freqüente em mulheres do que em homens, podendo se manifestar em qualquer idade, inclusive em crianças e adolescentes.
É muito importante um bom conhecimento sobre esta patologia nos diferentes âmbitos que têm relação com o doente. É fundamental o apoio familiar, para esta doença ser enfrentada de maneira positiva.
Ainda que a severidade dos sintomas variem em cada pessoa, a fibromialgia é parecida com um estado pós-viral. Este aspecto e muitos dos sintomas da fibromialgia são similares com outro transtorno chamado de Síndrome da Fadiga Crônica.

Diagnóstico

A fibromialgia foi reconhecida pela Organização Munial da Saúde (OMS), e hoje em dia, se diagnostica com base nos critérios descritos pelo Colégio Americano de Reumatologia, critério este, questionado na atualidade como insuficientes, por alguns especialistas.
– Dor à pressão (Aproximadamente de 4 Kg.) pelo menos em onze dos dezoito pontos sensíveis situados de forma específica ao longo do corpo:

– Dor generalizada e crônica, com duração superior à três meses, descartando a existência de outras patologias;
– Habitualmente as análises de laboratório não mostram alterações, sendo que somente ajudam a descartar outras doenças associadas.

Sintomas

Dor: A dor provocada pela fibromialgia está mal delimitada. As pessoas as descrevem como uma dor muscular profunda, latejamento, ou “como se algo estivesse travado ou queimando”. Freqüentemente, a dor e a rigidez pioram pela manhã e geralmente doem mais os músculos que se usam de forma repetitiva.

Fadiga: Este sintoma pode ser leve em alguns pacientes, todavia, muito severo em outros. Às vezes, é descrito como fadiga mental, com sensação de abatimento geral, como se houvessem lhe tirado a energia e sem vontade alguma para fazer os trabalhos habituais. Outras vezes, estas pessoas se referem ao desconforto, como se estivessem com braços e pernas presos em blocos de cimento.

Transtornos do Sono: A maioria dos pacientes com fibromialgia sofrem de transtornos do sono. Foi realizado um estudo do sono mediante o uso de um aparelho que registra as ondas cerebrais, observando-se que os pacientes que sofriam de fibromialgia, dormiam sem dificuldade, porém seu sono profundo era interrompido com freqüência com atividade cerebral do tipo alfa, quer dizer, era como se despertassem parcialmente, ou passassem toda a noite com pesadelos. A maioria dos pacientes com Síndrome de Fadiga Crônica mostram o mesmo padrão alfa nesta prova, enquanto que alguns indivíduos com fibromialgia têm outros sintomas associados, tais como apnéia noturna, mioclonias do sono (movimentos bruscos de braços e pernas) e bruxismo (ranger de dentes). O padrão de sono em pacientes deprimidos é muito diferente dos mencionados em pacientes com fibromialgia.

Síndrome do Intestino Irritável: Entre 40% a 70% dos pacientes com fibromialgia têm sintomas de intestino irritável, tais como, obstipação alternado com diarréia, dor abdominal, gases e náuseas.

Síndrome Temporomandibular: Causa uma dor tremenda na face e na cabeça em um quarto dos pacientes com fibromialgia. Se acredita que a maioria dos problemas que se associam com esta síndrome estão relacionados com os músculos e ligamentos que envolvem a articulação, e não com ela mesma.

Outros Sintomas Comuns: Podem apresentar-se com maior freqüência: menstruações dolorosas; dor torácica; rigidez matutina das articulações; alteração cognitiva ou da memória; Formigamento ou pontadas nas mãos; cãimbras musculares; bexiga urina irritável; sensação de inchaço nas extremidades, tonturas, secura nos olhos e na boca; mudança na prescrição de óculos, e alterações da coordenação motora.
Fatores Agravantes: As mudanças no clima, ambientes frios ou muito secos, hormonais (estados menopáusicos, estresse, depressão, ansiedade e excesso de exercício são fatores que podem contribuir para uma piora dos sintomas.

Causas

Sua causa é desconhecida. Todavia, se conhecem alguns fatores desencadeantes, como por exemplo: infecções (virais ou bacterianas), um acidente, ou outra doença simultânea, como artrite reumatóide, lupus ou hipotireoidismo.
Os fatores desencadeantes provavelmente não causam a fibromialgia, mas sim parecem despertar alguma anomalia fisiopatológica latente que já estava presente no paciente.
Algumas teorias em investigação implicam em alterações da regulação de neurotransmissores (serotonina), da função do sistema imunitário, da fisiologia do sono ou do controle hormonal.
Além do mais, estão utilizando técnicas de imagem para o estudo de funções cerebrais e análises virológicas para determinar o papel das infecções viróticas na fibromialgia. Ainda que, não se saiba com certeza, é provável que uma resposta anormal aos fatores que produzem estresse desempenhem um papel muito importante nesta enfermidade. A causa da fibromialgia não é um capítulo fechado na medicina, ainda há que se reconhecer que na atualidade segue sendo um mistério.

Tratamento

Os tratamento estão dirigidos a melhorar a qualidade de sono e a reduzir a dor. Como o sono profundo é tão importante para muitas funções do corpo humano (tais como reparação dos tecidos, e provavelmente regulagem de neurotransmissores, hormônios e substâncias imunológicas) se acredita que as alterações do sono tão corriqueiras em indivíduos com fibromialgia são um fator importante nos sintomas da doença. Por isso, às vezes se prescrevem doses baixas de medicamentos que potencializam os níveis de serotonina no corpo (é um neurotransmissor modulador do sono, dor e resposta imunológica).
Também se prescrevem uma grande variedade de analgésicos, sendo o mais comum o paracetamol.
A maioria dos pacientes, não obstante, necessitarão de outros tratamentos auxiliares, como a infiltração de pontos dolorosos, fisioterapia, exercícios suaves (piscina), calor local, massagens e outras técnicas prescritas por seu médico.

Qual é o Prognóstico??

O andamento a longo prazo da fibromialgia tem demonstrado que se trata de uma doença crônica, ainda que os sintomas possam oscilar em severidade ao longo do tempo.
O impacto que a fibromialgia pode ter sobre as atividades habituais do paciente, incluindo a capacidade de trabalhar, é muito variável, dependendo de cada pessoa. Em geral se recomenda que o paciente continue com sua rotina com a maior normalidade possível, e se trabalha, dê continuidade aos seus afazeres.
Todavia, com freqüência deve-se reduzir as atividades diárias, sugerindo alguns autores que a incapacidade na fibromialgia está pouco valorizada pelos médicos, podendo ter uma importância similar como a apresentada na artrite reumatóide.

O Papel do Reumatologista

Os pacientes com fibromialgia, geralmente, precisam ser avaliados por um médico especialista em reumatologia, para determinar a causa de seus sintomas, excluir outros processos reumatológicos e receber informação e educação, e um tratamento personalizado para sua doença. A fibromialgia requer um tratamento multidisciplinar, coordenado e supervisionado pelo reumatologista.

FONTE- http://www.revistapersonalite.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s