A CARNE – Ricardo Soares

cai

A CARNE

Estou preso à carne
Aos males de bocas úmidas
E secreções
Ao polvo que nos emoldura
Em pés, braços, genitálias desnudas, mãos

Estou preso a seios, colos
Cores do íntimo da devassidão
Ao epicentro despudorado do coração
À raiz do teu tabu e da ereção
Ao jato da ejaculação

Estou preso aos péssimos costumes
E à penetração
Ao tubo do ciúme e da razão
À vela que te queima o dedão
Ao beijo, ao felatio, à sodomização

Verdade que não quero salvação
Quero uma placa, uma faixa, uma inscrição
Que me festeje como o esteta do tesão

***
Ricardo Soares


12/03/91

Anúncios

2 pensamentos sobre “A CARNE – Ricardo Soares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s