Arquivo | fevereiro 2009

RELACIONAMENTOS…

https://i1.wp.com/s3prod.weheartit.netdna-cdn.com/images/6300381/tumblr_lf25pn6tWe1qzjwwfo1_500_large.jpg

 

Tem mulher que dá uma de mãe. Tem as que perseguem demais. As que choram demais. As que se desesperam demais. As que fazem manha demais. Tem as muito auto-suficientes.
E as que não se cuidam. Tem as que bancam a santinha. E as que têm ciúme até do futebol. Os homens sabem bem como são as mulheres que eles querem, mas não poupam o verbo quando é para dizer aquilo que não suportam.
Frescura, ciúme, demora para se arrumar, controle da situação e exagero foram as cinco atitudes mais citadas na pesquisa informal feita pelo Vila Mulher. O engenheiro de sistemas Silvio dos Passos Neto, de 24 anos, se incomoda com a demora generalizada da mulher. “Mas a atitude campeã é esperar que a gente adivinhe o que estão pensando. Aquela clássica história do sim que é não e do não que é sim”, fala.
. Isso de querer cuidar até da pele do amado tem muito da atitude super protetora, de mãe mesmo, que os homens não suportam.
O comprador Caio Mathias, de 22, e o estagiário Vinícius Corrêa, de 21, concordam. Não agüentam mulher possessiva e controladora. “Ficar ligando toda hora é muito chato”, desabafa Vinícius. Achar que está sempre certa e dar palpites em tudo é o que deixa Eduardo Gonçalves, 29, maluco. “Mas o pior é quando elas não percebem quando um ‘amigo’ está dando em cima. Mulher tem que aprender a dar corte em amigo folgado”.
Victor Ribas, 23, não suporta mulher que se faz de vítima. Breno Kenji, 26, tem pavor daquelas que dizem ‘eu te amo’ para todo mundo. Felipe Maldonado, 21, odeia quando elas escondem alguma coisa.
Mas é o jornalista Sérgio Murillo de Andrade, de 47 anos, que usa a experiência para dizer que não há nada que odeie nas mulheres. Ódio é muito pesado. Mas há comportamentos típicos que sim, podem tirar ele do sério. “Mulher nunca larga a família. Mesmo distantes, permitem interferência da mãe”, lamenta. Além disso, acha que elas exageram na importância de lembrar datas e, quando ficam magoadas, não perdoam facilmente. “Se lembrarem de alguma coisa mínima que você tenha feito, absolutamente sem importância para o resto da humanidade, o fato será lembrado dentro de alguns anos com requintes de trama macabra”, brinca. Sérgio diz ainda que as mulheres dão “curto-circuito” com muita facilidade. Que valorizam demais os detalhes e não dão importância à estratégia. Chega né?
Com tanto defeito, acha que fica difícil agradar? Não. Normalmente eles suportam mais do que admitem. Tudo é questão de aprender a dosar aquilo que a sua metade não gosta. No fim das contas, ele vai acabar achando suas manias um charme. Pode apostar.

 

 

 

Vampiros – Martha Medeiros

Il_570xn.272919925_large

 

m1a

Eu não acredito em gnomos ou duendes, mas vampiros existem. Fique ligado, eles podem estar numa sala de bate-papo virtual, no balcão de um bar, no estacionamento de um shopping. Vampiros e vampiras aproximam-se com uma conversa fiada, pedem seu telefone, ligam no outro dia, convidam para um cinema. Quando você menos espera, está entregando a eles seu rico pescocinho e mais. Este “mais” você vai acabar descobrindo o que é com o tempo.

Vampiros tratam você muito bem, têm muita cultura, presença de espírito e conhecimento da vida. Você fica certo que conheceu uma pessoa especial. Custa a se dar conta de que eles são vampiros, parecem gente. Até que começam a sugar você. Sugam todinho o seu amor, sugam sua confiança, sugam sua tolerância, sugam sua fé, sugam seu tempo, sugam suas ilusões. Vampiros deixam você murchinha, chupam até a última gota. Um belo dia você descobre que nunca recebeu nada em troca, que amou pelos dois, que foi sempre um ombro amigo, que sempre esteve à disposição, e sofreu tão solitariamente que hoje se encontra aí, mais carniça do que carne.

Esta é uma historinha de terror que se repete ano após ano, por séculos. Relações vampirescas: o morcegão surge com uma carinha de fome e cansaço, como se não tivesse dormido a noite toda, e você se oferece para uma conversa, um abraço, uma força. Aí ele se revitaliza e bate as asinhas. Acontece em São Paulo, Manaus, Recife, Florianópolis, em todo lugar, não só na Transilvânia. E ocorre também entre amigos, entre colegas de trabalho, entre familiares, não só nas relações de amor.

Doe sangue para hospitais. Dê seu sangue por um projeto de vida, por um sonho. Mas não doe para aqueles que sempre, sempre, sempre vão lhe pedir mais e lhe retribuir jamais.

Martha Medeiros

12735897718279_large

ME BEIJA!

12641309528132_large

Não há nada melhor do que ser beijado ou mostrar seu carinho por alguém através de um beijo bem gostoso! Quando vem acompanhado de um grande abraço, ou mesmo uma carícia, então, nem se fala. Mas não pense que são só os grandes beijos dos casais apaixonados que têm esse poder de transmitir os sentimentos. De pai para filho, entre amigos ou um beijo de consolo, não há nenhum ato tão íntimo como esse.

 Entre os casais, diferentemente do sexo, o beijo não é uma necessidade orgânica, mas quando falta ou quando perdeu o poder de encantar, ficou morno e automático, pode ser um sinal de que as coisas não vão muito bem. Para cuidar disso, a Personal Sex Trainer, Fátima Moura, dá algumas dicas de como voltar a ter uma vida regada de beijos, e também como saber beijar de um modo diferente que faça seu parceiro(a) se surpreender a cada momento. Variações em torno do beijo O beijo é o único ato que pode estimular todos os sentidos ao mesmo tempo, e deve ser dado não apenas diretamente na boca, mas alcançar as regiões que mais excitam e agradam. É um componente fundamental das preliminares que vão levar ao sexo, e se aventurar com novos estilos de beijo e novas regiões a serem beijadas pode levar à uma relação muito mais prazerosa. Por isso, o essencial é que haja um diálogo constante entre casais para que um conheça bem o outro, e saiba exatamente seus pontos mais sensíveis. Beije muito…

Alguns casais que já estão juntos há um bom tempo acabam sofrendo as conseqüências de uma rotina que deixa de lado as carícias e as expressões de sentimentos, dentre elas, o beijo. Segundo Fátima Moura, muitas pessoas pensam que os beijos mais apimentados são coisas de adolescentes ou de comecinho de relacionamento. “As pessoas têm que se beijar muito em qualquer idade, e não há um beijo ideal. O melhor é que a pessoa se entregue completamente e esqueça todo o resto que está à sua volta”, diz ela. Assim, não há porque ter vergonha de beijar alguém em público e demonstrar seu amor, seja qual for a sua história. Já existe no mercado alguns produtos que podem também dar uma incrementada nos beijos, como gels que dão um gostinho especial e uma sensação de frescura nos lábios.

 Mas dá para fugir da rotina com algumas dicas que vêm sendo cultivadas à anos. Afinal, o beijo é uma prática que não exige muitos esforços, mas sim, muito sentimento. Agora, preste atenção nas idéias inspiradoras de Fátima Moura Está no Kama Sutra: experimente mudar a intensidade dos beijos. O livro escrito entre os anos 100 e 400 D.C. mostra que a intensidade do beijo pode variar de acordo com o local em que é aplicado, podendo ser mais suave, moderado ou pressionado. Quanto mais próximos dos órgãos genitais, é mais intenso o prazer, e os seios são especialmente mais sensíveis ao toque dos lábios.

 Três técnicas hindus A técnica Ananga Ranga atenta para três tipos de beijos fundamentais para as preliminares: No Ghatika (o beijo na nuca), No Uttaroshtha (beijos no lábio superior) e o Pratibodha (o beijo do despertar, onde um dos parceiros acorda o outro pressionando seus lábios nos dele até que acorde). O beijo à moda árabe Para eles o melhor beijo é aquele dado com os lábios umedecidos, seguidos de uma leve sucção deles e da língua.

O beijo durante a relação sexual é fundamental, e posições que não permitem isso podem ser até menos interessantes. Coloque ousadia no seu próximo beijo Não é à toa que os autores do Kama Sutra enfatizam a importância de se beijar o parceiro de várias maneiras, conta Fátima. O beijo é o componente principal das famosas preliminares, fundamentais para que a transa seja ainda mais gostosa. Embora ninguém deva se prender a modelos, é importante nunca beijar por beijar. Sinta os lábios do parceiro e tente transmitir seus sentimentos por meio deste gesto, como se não houvesse nenhuma outra forma de se comunicar.

Fátima Moura, ainda adverte: “quem disse que a estrela principal é a boca? Tem gente que gosta de beijo na testa, nas pálpebras, nos braços, no umbigo… beijocas no pescoço e na virilha fazem a temperatura subir. Aventure-se e explore os pontos mais sensíveis do corpo dele. Durante o beijo, aproveite para acariciar as mãos dele, os cabelos, as costas, ou segure o rosto dele em suas mãos. Faça do beijo um acontecimento único.”

Tumblr_lhxsx1ez3b1qf30uco1_500_large

Consultoria Fátima Moura, Personal Sex Trainer Ela trabalha há 12 anos como orientadora pessoal de relacionamentos, auxiliando pessoas que queiram resgatar a auto-estima e a sensualidade. Dá palestras e cursos como de Strip Tease e Massagem Sensual, entre muitos outros. É autora do livro Sexo para Mulheres Casadas .


AS MARCAS DA DIFERENÇA

 

2010-03-26-igreja-senhor-bonfim_large

Apartheid, Discriminação e Segregação no Carnaval da Bahia

O título acima é de responsabilidade do assinante do site Galinha Pulando. É uma ‘leitura livre’ do texto da jornalista Malu Fontes, publicado no jornal A TARDE de 18 de fevereiro de 2007, a respeito do carnaval de Salvador, mas que, apesar de mais de um ano de sua publicação, está atualíssimo. Confira:
.
A Tarde, domingo, 18 de fevereiro de 2007

ile
.
TELEANÁLISE
AS MARCAS DA DIFERENÇA
.
MALU FONTES
.
“Camarote 2222/Aqui é o novo endereço/torça para ser convidado/até olhar de fora vale a pena”. Adornadas por desenhos alusivos a motivos carnavalescos e estampando a reluzente marca de refrigerantes que figura como uma das principais patrocinadoras do camarote, as frases acima parecem convidar a duas leituras igualmente irresistíveis levando em conta os contextos sociais e políticos. A primeira delas é que essas frases curtinhas, publicitárias, despretensiosas, são, na verdade uma negação arrivista daquilo que diz a logomarca do Governo Federal, governo, inclusive, que tem como ministro da Cultura o principal anfitrião do Camarote 2222, Gilberto Gil. Para quem não lembra, a logomarca do governo estampa: Brasil/Um país de todos/Governo Federal).
.
Pode-se dizer que inferência apontando para a negação do slogan do governo pelas frases do camarote é um ponto de vista subjetivo, uma questão de leitura pessoal, etc. e tal. Mas a segunda leitura tem como perspectiva o bom senso. Em um país em que só os alienados não enxergam que vivemos sob a ameaça da convulsão social e da intolerância entre as classes sociais do alto e da base da pirâmide, soa no mínimo inadequado um espaço festivo montado em torno de um ministro de estado promover a distinção social, a diferença, a característica de “para poucos” que se quer imprimir ao tal camarote e que de fato o caracteriza.
.
EMPADAS – As frases curtinhas não querem dizer outra coisa senão reforçar o quanto aquele espaço é para privilegiados que tenham a sorte (que passa pela condição sócio-econônica, estética ou pelo viés da fama) de serem escolhidos. Assinala, embora com alguma sutileza, que a ralé sem chance de torcer para ser convidada deve se dar por muito feliz em poder, do chão da rua, olhar para cima e admirar o olimpo e os olimpianos. Quem sabe até dá para ganhar uma latinha de cerveja quente ou um restinho de empadas jogadas generosamente lá de cima, como bem diz Carlinhos Brown em entrevista ilustrativa sobre o Carnaval de Salvador em A Tarde do último domingo.
.
Os camarotes se tornaram onipresentes no Carnaval de Salvador e representam hoje o que o próprio Brown chamou o ano passado de apartheid da festa, juntamente com as cordas que separam o povo e os blocos dos grandes artistas da festa. A camarotização tem como principais referências justamente os camarotes Expresso 2222, organizado pela mulher do ministro, Flora Gil, e o de Daniela Mercury, organizado pela promoter mais incensada da Bahia, Lícia Fábio. O primeiro está ancorado em R$ 2,5 milhões em cotas de patrocínio levantadas entre marcas líderes do mercado e o segundo em R$ 2 milhões.

ileeeeeeeeeeeeeeeeeeee
.
TAPA – As marcas que bancam esses custos querem visibilidade em imagens na TV durante a festa, fotos, notas e matérias na imprensa local, nacional e na Internet. Por isso a lógica é só convidar gente interessante (geralmente gente famosa, influente, descolada ou rica). À revista Piauí, Flora Gil definiu o perfil de seus convidados: “convido puta, viado, artista, baiana de candomblé, tudo”. Deus sabe o que cabe nesse tudo, mas a mesma revista dá uma opção de resposta sobre quem é bem vindo nos camarotes vips:”é para cliente, gostosa e famosa”, diz o dono da AmBev, Paulo Lemann, patrocinador de 9 entre cada 10 camarotes desses cujas camisas são disputadas a tapa nos bastidores do high society baiano.
.
O fato é que em uma cidade em que os desinteressantes, segundo a semântica da gramática dos camarotes, são cada vez mais empurrados para os becos com cheiro de xixi ou se contentam em ficar olhando para cima para ver os privilegiados, são ilustrativas as frases de efeito da fachada do camarote onde o ministro receberá seus convidados. Nesse contexto, merece aplausos a iniciativa do mesmo Carlinhos Brown que fala em apartheid na festa. Depois do Camarote Andante, este ano uma das marcas da festa é o seu Bloco Pipocão.
.
Em um Carnaval que caminha a passos largos acentuando as desigualdades entre as pessoas que dele participam, qualquer iniciativa que contemple os sem abadá e sem camarote soam como formas de oxigenar o modelo da festa e servem para distinguir a condição de artista da condição de mero cantor de bloco ou de trio. Mas já que é Carnaval, vamos fingir que tudo é festa e criatividade, inclusive músicas que transformam até Deus numa persona poética abilolada. Com o caos do mundo transbordando, quem foi que disse que Deus pode parar para namorar, na beira do mar, ao mesmo tempo em que desenha gente perfeitinha, num sinal que nem mesmo sua suposta namorada merece sua atenção? Socorra-nos, Deus!

marga
.
Malu Fontes é jornalista, doutora em Comunicação e Cultura e professora da Facom-UFBA.

ACORDA BRASIL………………….ACORDA BAHIA!
TEMOS MUITOS PROBLEMAS PARA SERES RESOLVIDOS!
 

Fontes:

 

Valdeck Almeida de Jesus
Publicado no Recanto das Letras em 17/02/2009
Código do texto: T1443527

CARNAVAL DA BAHIA 2009

linda1
Carnaval da Bahia: participação popular e alegria
 
Eta gente festeira,  gente bonita, que dá nó em pingo d’água, que agita, que agita (Alain Tavares/Gilson Babilônia)
Por Galindo Luma
Começa oficialmente no dia 19/02, quinta-feira, com a entrega simbólica pelo prefeito chave da cidade ao Rei Momo o que os baianos chamam, talvez com razão, da maior festa do planeta. Termina na tarde do dia 25, quarta-feira de cinzas, com os arrastões da Timbalada e de Ivete Sangalo. Oficialmente porque na verdade o ciclo de festas populares se inicia em novembro e o carnaval vem a ser o coroamento, a apoteose, de um longo período de grandes, médias e pequenas manifestações pré-carnavalescas.
As lavagem do Bonfim em janeiro, a festa de Yemanjá no Rio Vermelho, a de Reis na Lapinha e a lavagem de Itapoan em fevereiro mobilizam centenas de milhares de pessoas. Centenas também são as festas isoladas, shows dos mais variados gostos, ensaios de blocos afro e de outros ritmos que inundam o ambiente de alegria, atraindo turistas de todas as partes do Brasil e do mundo e, principalmente, a população local. È o prefácio do que estar por vir, uma espécie de concentração para uma festa de proporções gigantescas que vai parar a cidade por sete dias seguidos e proporcionar diversão e prazer àqueles que lá acorrem.O carnaval de Salvador é uma festa magnífica, espetacular, eletrizante, de intensa participação popular Os dois milhões que saem de casa para os diversos espaços da festa se divertem pra valer, dançam pulam, cantam, se esbaldam com as variadas opções referidas. Eles não ficam angustiados, tristes, se sentindo discriminados. Ao contrário. O semblante de alegria, de prazer, fica estampado na fisionomia de todos. A música Terra Festeira, citada acima, sucesso gravado por Daniela Mercury, resume bem o espírito desse fantástico povo baiano: Gente bonita, que agita, que agita. Com e sem corda.
 O Começo

carnaval-antigo1

A Evolução

trio-e-dodo3

Osmar Macêdo – Um dos inventores do Trio Elétrico- ( Os inventores foram Dodô e Osmar Macêdo)

FONTE:

http://www.vermelho.org.br/diario/2006/0221/0221_carnaval-ba.asp

http://ibahia.globo.com/capa/default.asp

SILÊNCIOS E PALAVRAS

 

 

 

 Não diga as coisas com pressa. Mais vale um silêncio certo que uma palavra errada. Demora naquilo que você precisa dizer. Livre-se da pressa de querer dar ordens ao mundo. É mais fácil a gente se arrepender de uma palavra que de um silêncio. Palavra errada, na hora errada, pode se transformar em ferida naquele que disse, e também naquele que ouviu. Em muitos momentos da vida o silêncio é a resposta mais sábia que podemos dar a alguém. Por isso, prepara bem a palavra que será dita. Palavras apressadas não combinam com sabedoria. Os sábios preferem o silêncio. E nos seus poucos dizeres está condensada uma fonte inesgotável de sabedoria. Não caia na tentação do discurso banal, da explicação simplória. Queira a profundidade da fala que nos pede calma. Calma para dizer, calma para ouvir. Hoje, neste tempo de palavras muitas, queiramos a beleza dos silêncios poucos.

Pe Fábio de Melo

 

Rouxinol – Padre Fábio de Melo